Conheça os principais benefícios de pular em trampolins

Foi na NASA (National Aeronautics and Space Administration), nos anos 1980, que se estudou de forma mais aprofundada os benefícios do trampolim. Procuravam perceber qual era o melhor exercício

para os astronautas que, recém‑chegados à Terra, depois de muito tempo sem gravidade, tinham perdas de massa muscular acima dos dez por cento.


Chegaram à conclusão de que o trampolim, por comparação com a corrida, não só tinha os mesmos benefícios enquanto treino aeróbico, como uma série de outras vantagens que a corrida não tem.


Se é bom para os astronautas, é bom para nós. Eis porquê:


Baixo impacto:


A corrida e outras modalidades não são aconselháveis a todos por causa do impacto, que pode agravar lesões existentes.


Na corrida, por exemplo, o impacto do pé no chão gera uma onda de choque que pode não ser aconselhável a quem tenha problemas nas articulações nos joelhos ou hérnias discais.


O trampolim – embora não dispense avaliação médica prévia e também tenha restrições – não é uma modalidade de impacto, já que a elasticidade absorve o choque.


Equilíbrio e coordenação:


Saltar em cima de um aparelho que não é estático – porque se molda debaixo dos nossos pés – aumenta a nossa cinestesia, ou seja, a capacidade de localizar espacialmente a posição e a orientação do nosso corpo.


Isso traduz‑se em ganhos nas capacidades de coordenação, já que desenvolvemos uma noção dos movimentos a fazer e da força muscular a aplicar para nos mantermos em equilíbrio.


Este treino, com vigilância, pode ser uma ferramenta importante na prevenção de quedas dos idosos.


Fortalece os músculos:


Aparentemente, o trampolim parece exercitar apenas as pernas, mas o equilíbrio do corpo no seu todo só é possível através da força abdominal.


Assim, o trampolim estimula o fortalecimento dos músculos do core – o grupo muscular constituído pela musculatura do tronco, sobretudo lombares e abdominais – que são os maiores responsáveis pelo equilíbrio e a estabilidade do corpo como um todo.


Diminui o estresse e a ansiedade:


Qualquer exercício físico estimula a produção de endorfinas que, por sua vez, produzem uma sensação de bem‑estar e prazer.


Por essa razão, a prática de exercício físico é essencial para controlar a ansiedade e o stress e pode ser um poderoso adjuvante no tratamento da depressão.


Saltar no trampolim, ninguém o pode negar, junta ao exercício físico a diversão, que é, também ela, uma fonte de bem‑estar e prazer.

71 visualizações0 comentário